Buscar
  • Center Cardio Clínicas

Envelhecimento saudável é possível, com cuidados e mudanças de hábitos


Por Rafael Conceição Caetano (CRM 26308), geriatra da Center Cardio


A população mundial com mais de 65 anos deve chegar, até 2050, a 2 bilhões de pessoas, conforme estudos que monitoram a população idosa no mundo. Esse aumento da longevidade tem contribuído para que as pessoas e instituições se preocupem, cada vez mais, com a qualidade de vida desta parcela da população e com o envelhecimento saudável.


O cuidado com a alimentação, que deve ser de qualidade e equilibrada, é um dos primeiros passos para envelhecer bem. Evitar o consumo de produtos industrializados na juventude é fundamental para chegar à terceira idade com muito mais vigor, energia e livre de enfermidades como diabetes, hipertensão e colesterol alto.


O estilo de vida na juventude e meia idade também refletirá ao idoso uma vida de qualidade e livre de doenças. A revisão médica anual deve ser feita regularmente para identificar eventuais alterações no organismo, que exijam intervenções para a prevenção de doenças.  É o caso, por exemplo, do monitoramento da glicemia, dos triglicérides e colesterol, que ajudam a identificar uma eventual desordem e apontar o caminho para sua regularização.


Principalmente após os 40 anos, essa revisão médica anual é importante, pois, a partir desta faixa etária, aumentam os riscos de doenças que apresentam poucos sintomas e que só são diagnosticadas quando estão em estágio muito avançado. O atendimento clínico e exames solicitados ajudam o médico a detectar alterações nas células do corpo e contribuem para diminuir as chances de infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e do desenvolvimento de tumores e outras doenças crônicas.


A prática regular de atividade, mais que contribuir para a manutenção de um corpo esteticamente bonito, ajuda a manter a saúde. Dados da organização Mundial da Saúde indicam que a prática de atividades físicas ajuda na prevenção de doenças da terceira idade como osteoporose, problemas cardíacos, além de ajudar a prevenir a depressão, uma vez que produz serotonina.


Manter o cérebro em atividade também é muito importante. A leitura de livros e jornais estimula o raciocínio, promove o relaxamento e ajuda a manter o cérebro sadio, o que contribui no combate à perda de memória. Jogos de videogames e que exigem raciocínio para sua solução também são um bom exercício para a memória. Dormir bem, ou seja, as horas necessárias e um sono de qualidade, também ajudam a evitar o envelhecimento do cérebro, pois poucas horas de sono contribuem para o declínio cognitivo e afetam o raciocínio, atrapalham o raciocínio e o bom funcionamento do metabolismo.


Beber água também é um hábito saudável, afinal a água é primordial no transporte de nutrientes para as células e para regular a temperatura corporal, além de ser um excelente aliado nos processos fisiológicos de digestão, absorção e secreção, uma vez que protege de infecções e ajuda a eliminar toxinas por meio da urina. Por isso, a indicação é que sejam consumidos, no mínimo, dois litros de água diariamente.


Evitar o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas em excesso é um grande aliado da pele e do organismo, pois, além de contribuir para o aparecimento de rugas e linhas de expressão, o álcool e o tabagismo provocam danos nas células saudáveis do corpo e aumentam as chances de doenças como diabetes, hipertensão e problemas neurológicos como o Mal de Parkinson.


Permanecer ao menos 15 minutos por dia ao ar livre, ajuda na absorção da vitamina D, advinda do sol, o que contribuiu para a fixação do cálcio e melhora o ânimo. A saúde mental também é importante. Por isso, em alguns casos, é importante ter um acompanhamento psicológico, de forma a proporcionar um convívio saudável e evitar problemas como depressão, comuns em pacientes de terceira idade, que estão em situação de sofrimento psíquico intenso. A depender do quadro de cada paciente, são indicadas ainda fisioterapia, terapia ocupacional e até mesmo cuidadores de idosos, profissionais capacitados para atender às necessidades do idoso em sua própria residência, sem privá-lo do ambiente familiar e da sua rotina.

2 visualizações0 comentário